Aspectos Sociais da Qualidade de Vida da População do ERJ

Linha de Pesquisa Aspectos da Qualidade de Vida da População Fluminense

Uma das atividades do Centro de Estatísticas, Estudos e Pesquisas é produzir informações sobre a realidade social do Estado do Rio de Janeiro. Nesse campo, trabalha-se com o conceito multifacetado de Qualidade de Vida, o que requer a associação entre diferentes dimensões da vida para fins de análise das condições socioeconômicas e ambientais das populações.

Alguns autores descrevem a Qualidade de Vida como uma categoria dependente de duas esferas complementares: as percepções objetivas, as quais lidam com “a garantia e satisfação das necessidades mais elementares da vida humana: alimentação, acesso à água potável, habitação, trabalho, saúde e lazer” (ALMEIDA, GUTIERREZ, MARQUES, 2012, p.24); e as percepções subjetivas da qualidade de vida, que dizem respeito “ao estilo de vida do sujeito, que se caracteriza como os hábitos aprendidos e adotados durante toda a vida, relacionados com a realidade familiar, ambiental e social” (p.28).

Para a Organização Mundial da Saúde - OMS (1995) Qualidade de Vida representa a “percepção do indivíduo de sua inserção na vida no contexto de cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Por fim, a Constituição Federal 1988, tomando seu disposto no art. 6º, introduz os direitos sociais ao sistema político brasileiro, sendo direitos sociais “a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição”. Compreendendo assim que é função do Estado, dentre outras, assegurar, através de políticas sociais, condições básicas necessárias para que sua população alcance o que é considerada uma boa qualidade de vida.

 

Projetos e Produtos

Como resultados, a linha de pesquisa vem construindo e publicando pesquisas e estudos técnicos temáticos. Entre eles:

Relatório Anual de Governo - Análise dos Aspectos Sociais da Qualidade de Vida da População do Estado do Rio de Janeiro

O relatório integra a prestação anual de contas do Governador do Estado do Rio de Janeiro aos órgãos competentes. É função da Fundação CEPERJ o provimento, no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, de todo o acervo de dados e informações básicas necessários ao conhecimento e ao acompanhamento das realidades física, territorial, ambiental, econômica, cartográfica, demográfica e social. Assim, o presente documento cumpre primacialmente o propósito de condensar uma parte da extensa gama de informações a que cabe coletar, sistematizar, dar tratamento estatístico e divulgar aos órgãos públicos de diferentes esferas administrativas e à sociedade em geral.

Download do arquivo.

 

Aspectos da Qualidade de Vida: olhar comparativo

A divulgação das condições de vida da população é estratégica para o acompanhamento das transformações sociais, econômicas e urbanas nos municípios e nas regiões fluminenses. Da mesma forma permite realizar comparações entre as unidades da federação, por meio do desempenho de indicadores socioeconômicos e temas selecionados. Com um formato sucinto e informativo, o estudo “Olhar Comparativo” verifica o comportamento de áreas temáticas relacionadas às dimensões da qualidade de vida e das políticas sociais, trazendo a cada início de ano um diagnóstico geral do Estado do Rio de Janeiro e sua posição frente à Região Sudeste e a outros estados brasileiros.

Download do arquivo.

 

Boletim Mulheres Fluminenses

O Boletim Mulheres Fluminenses tem como objetivo organizar e divulgar num único ambiente informações referentes à realidade socioeconômica e demográfica da população feminina no ERJ. Mesmo não sendo uma abordagem profunda sobre gênero, visa-se apresentar algumas características particulares e importantes em relação à vida das mulheres no estado, cujo comportamento de variáveis e de indicadores merecem, assim, um olhar atento por parte dos gestores estaduais, pesquisadores e da sociedade civil. O Boletim está organizado por meio dos seguintes temas: Demografia, Saúde, Educação, Trabalho, Renda e Pobreza, Mulheres nos Espaços de Representação Política e Segurança Pública.

Download do arquivo.

Download dos dados.

 

Referências

ALMEIDA, M.A; GUTIERREZ, G.L.; MARQUES, R. Qualidade de vida: definição, conceitos e interfaces com outras áreas, de pesquisa. São Paulo: Escola de Artes, Ciências e Humanidades – EACH/USP, 2012.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

CEPERJ. Análise dos aspectos sociais da Qualidade de vida da população do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: CEPERJ, dez. 2018;

FLECK, M. P. A. O instrumento de avaliação de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde (WHOQOL-100): características e perspectivas. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v.5, n.1, p. 33-38, 2000;

GONÇALVES, Aguinaldo. Em busca do diálogo do controle social sobre o estilo de vida. In: VILARTA, Roberto (org.) Qualidade de Vida e políticas públicas: saúde, lazer e atividade física. Campinas, IPES, p. 17-26, 2004;

NAHAS, M. V.; BARROS, M. V. G.; FRANCALACCI, V. L. O pentáculo do bem-estar: base conceitual para avaliação do estilo de vida de indivíduos ou grupos. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, v. 5, n. 2, p. 48-59, 2001;

PNUD. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal Brasileiro. Brasília: PNUD, Ipea, FJP, 2013;

THE WHOQOL GROUP. The World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Social Science and Medicine, n.10, p. 1403-1409.

Tecnologia PRODERJ - Todos os direitos reservados