instituicaoservicoatribuicoesimprensalicitacaofaleconosco
egppceep
dctdi
dcps
 

Fundação Ceperj divulga nova série do Produto Interno Bruto fluminense

05/01/2016

Os dados analisados foram revisados de acordo com a reformulação do ano de referência

A Fundação Ceperj divulga nova série para o Produto Interno Bruto fluminense. Todos os dados avaliados foram revistos neste processo de acordo com a reformulação do ano de referência, que passou de 2002 para 2010. Desta forma, o Estado do Rio de Janeiro apresentou, em 2013, uma taxa de variação do volume de 1,2% e valor estimado de R$ 626.320 milhões, sendo R$ 533.081 milhões referentes ao valor adicionado e R$ 93.239 milhões aos impostos líquidos.

As análises evidenciam uma forte concentração da atividade de 92 municípios no setor de serviço, que detém 69% de toda a economia do estado. A indústria fluminense responde por 30,5%. Já a agropecuária assinalou uma perda de 0,02 ponto percentual, passando de 0,48%, em 2012, para 0,46%, em 2013.

A nível nacional, além da capital, que representa 5,3% do PIB, Campos dos Goytacazes também se destacou, com 1,1%, em decorrência da indústria extrativa (petróleo). Entre os quatorze maiores valores adicionados da indústria do país, quatro são correspondentes à municípios fluminenses, são eles: Campos (segundo colocado); Rio de Janeiro (terceiro colocado); Cabo Frio (décimo primeiro colocado); e Rio das Ostras (décimo quarto colocado). Entre os maiores PIB per capita do Brasil, Porto Real ocupa o terceiro lugar; Quissamã, o sexto; e São João da Barra, o oitavo.

Ao avaliar o desempenho municipal, cinco municípios destacaram-se no ranking de participações do PIB estadual e concentraram 64,0% da economia, contra 64,9% em 2012: Rio de Janeiro (45,1%, em 2013, e 43,9%, em 2012); Campos dos Goytacazes (9,3%, em 2013, e 10,4%, em 2012); Duque de Caxias (4,0%, em 2013, 3,8%, em 2012); Niterói (3,2%, em 2013, e 3,1%, em 2012); e Macaé (3,1%, em 2013, e 3,0%, em 2012).

A maior renda per capita do Rio de Janeiro, durante o período de análise, voltou a ser de Porto Real, com R$ 255.658,30, devido à recuperação das atividades do setor automobilístico; seguido de Quissamã, com R$ 223.042,26; São João da Barra, com R$212.966,61; Campos dos Goytacazes, com R$ 122.063,03; e Rio das Ostras, com R$ 121.799,76.

(página inicial)